Desertos de notícia afetam 37 milhões de brasileiros
Fale conosco (86) 99495-8096

Desertos de notícia afetam 37 milhões de brasileiros

O fenômeno faz parte dos desafios da atividade jornalística no Brasil



Seis a cada dez cidades brasileiras não acesso a informação local (Imagem: Freepik)

É bem provável que você se informe diariamente e por diferentes canais com notícias do seu interesse. São informações de utilidade pública, que atendem as necessidades dos cidadãos e que auxiliam seu modo de vida. Infelizmente, nem todos têm essa oportunidade.

Esta é a realidade dos brasileiros que vivem em locais onde não há cobertura jornalística: são os chamados desertos de notícia. Estão inseridos nesses locais 18% da população, a qual não tem acesso a informações que são importantes para garantir seus direitos, como educação, saúde, segurança ou mesmo administração pública.

No Brasil, 62% dos municípios estão localizados em regiões sem cobertura jornalística local. Nesses espaços, vivem em geral 7.100 habitantes.

O Nordeste concentra 73,5% dos desertos de notícia do país. Na região, o estado do Piauí é o segundo com maior proporção de desertos de notícia por município.

A atividade jornalística no Brasil enfrenta muitos desafios, mas apesar desse cenário, os serviços de rádio e TV ainda representam 45% das iniciativas jornalísticas do país, sendo o rádio o veículo mais abrangente.

Esses dados fazem parte do levantamento ATLAS DA NOTÍCIA realizado pelo Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo (Projor), mantenedor do Observatório da Imprensa, em parceria com a agência Volt Data Lab.


Um risco à cidadania


Sem apuração jornalística, os cidadãos ficam sujeitos às fake news. (Imagem: Freepik)

Especialmente em um momento de fragilidade comunicacional e ampla desinformação com distribuição das fake news, preocupa o fato de que uma parcela considerável dos habitantes brasileiros fique à mercê de informações sem apuração que chegam através das redes sociais.

Como irão conhecer seus direitos, os problemas que sua região enfrenta; como poderão votar conscientemente, se mal conhecem a realidade que os cerca?

Então, vamos pensar juntos: como podemos estimular a prática do jornalismo local? Que ações ou projetos podem ser desenvolvidos com essa finalidade?

Nossa responsabilidade

A Escola Comradio atua nesse contexto promovendo a formação de comunicadores, oferecendo a essa capacitação através da modalidade do curso online, com o objetivo de alcançar mais pessoas em todo o país.

O que mais ainda pode ser feito?

Dê sua opinião:


Veja também:

Projeto Mulheres de Visão participará do RECONECTA 2020

Projeto Mulheres de Visão participará do RECONECTA 2020

Fact checking é tendência profissional para 2021

Fact checking é tendência profissional para 2021

Mulheres são vítimas de deepfake pornográficas

Mulheres são vítimas de deepfake pornográficas